Coopvila apresenta espetáculo teatral Histórias Recicladas

Catadoras encenam histórias de vida, rememorando fatos marcantes do antigo lixão de Maceió e a luta por trabalho e moradia dignos.

O grupo teatral Guerreiras da Esperança vinculado à Cooperativa dos Catadores da Vila Emater (Coopvila) foi criado em 2012, oriundo da parceira entre o Centro de Educação Ambiental São Bartolomeu (CEASB) e Cia de Teatro Munganga com sede em Amsterdam (Holanda).

O diretor Carlos Lagoeiro foi convidado para desenvolver um trabalho com as catadoras da Coopvila, preparando-as para atuarem também como agentes culturais, expressando suas histórias e desejos de futuro por meio da arte. Foram dois meses de integração e formação através de oficinas de voz, expressão corporal, atitude cênica, análise de texto (e contexto) e interpretação.

As vivências artísticas transformaram-se na montagem teatral Histórias Recicladas, reunido cordel e relatos a partir dos temas discutidos. O projeto recebeu o apoio do Fundo Nacional do Meio Ambiente, que viabilizou a realização de várias apresentações. Em 2013, o trabalho foi retomado e fortalecido, inclusive, obteve projeção na mídia e passou a integrar as ações educativas e de educação ambiental do Projeto Coopvila: Reciclar e Educar, que é patrocinado pela Petrobras.

A peça Histórias Recicladas é estrelada por treze mulheres, com idade variando entre 17 e 55 anos, integrantes da Coopvila e filhas de catadoras, e moradoras da comunidade carente Vila Emater II. O cenário remete à intimidade de uma sala de estar. De forma simples e envolvente, as catadoras-atrizes rememoram e representam a trajetória de suas vidas, do interior ao lixão de Maceió, e ainda, destacam a importância da fundação da Coopvila.

O tema central é a Reciclagem e Renascimento. Tem como objetivo sensibilizar o público sobre a coleta seletiva e a valorização do trabalho dos catadores, despertando a reflexão sobre os desafios da construção de uma sociedade justa e sustentável, a partir do questionamento central: “Qual é o lixo de sua vida?”, propondo que tudo e todos têm pelo menos uma segunda chance de vida.

Apresentações

Até março de 2015, foram realizadas 29 apresentações para: catadores de vários estados, estudantes da rede pública de ensino, professores, pesquisadores, ativistas ambientais, lideranças de movimentos sociais, funcionários públicos e gestores. Também foi prestigiado pela presidenta Dilma Rousseff e ministros, durante uma mística natalina com os(as) catadores(as) de materiais recicláveis e população em situação de rua.

O espetáculo integrou a programação de eventos como: o Festival Nacional Lixo e Cidadania, nos dias 23 e 24 de outubro de 2012 em Belo Horizonte (MG); a 5ª ExpoCatadores em São Paulo (SP) nos dias 1º e 3 de dezembro de 2014, com o tema central “Inclusão social/Meio Ambiente/Gestão de Resíduos”; e o 2º Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária na cidade do Receife (PE) em dezembro de 2014, sobre o tema “Território e Territorialidades na construção da educação em economia solidária”.

“A gente saiu do nosso Estado para levar o conhecimento dos catadores, e mostrar que somos capazes de trabalhar e também fazer arte. Queremos mostrar que vale a pena ajudar na articulação dos catadores e apoiar a organização das cooperativas que contribuem diretamente para o meio ambiente. E com essa peça teatral, a gente espera ajudar os catadores de outros estados para ficarem mais fortalecidos“, destacou Eliene da Silva – Presidenta da Coopvila.

Eu me sinto muito feliz fazendo parte dessa peça, porque a gente quer mostrar para a sociedade o valor do teatro, da natureza e do meio ambiente. Quanto mais a gente trabalha, eles vão ver que a gente tem valor, que somos seres humanos e a gente precisa de respeito”, enalteceu a catadora Maria Célia Silva dos Santos (China).

A peça além de ter revelado talentos, emociona o público com as dores pessoais e conquistas da Coopvila; além de contribuir para a conscientização e mobilização de novos parceiros no Programa de Coleta Seletiva de materiais recicláveis.

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Carlos Lagoeiro – Teatro Munganga
Assistente de Direção: Claudia Maoli
Elenco: Eliene da Silva, Antônia Paulo dos Santos, Ivanilda da Conceição Gomes, Maria Carmira da Silva, Irenilda Maria da Conceição, Fabiana Amaral da Conceição, Maria Célia Silva dos Santos (China), Márcia Maria Silva dos Santos, Jadna Santos da Silva, Fernanda da Silva Monteiro, Jedna Santos da Silva e Ana Karolaine Silva dos Santos.
Direção de arte: Marcelo Santiago
Coreografia: Edu Passos
Vídeo arte: Gustavo Gelmini
Imagens do vídeo: “O Lixão Sai, a Gente Fica” direção de Marcelo Pedroso, CEASB (2010).
Assistente cenografia: Beto Normande
Assistente figurino: Wiane Moreira
Cordel: “Do Êxodo Rural, Às Favelas da Capital”: Helcias Roberto Paulino Pereira
Assessoria: CEASB – Coordenação Geral: Eduardo Normande; Coordenação Pedagógica: Ana Lúcia Ferraz Menezes; Educadores: Emanuel Lucas de Barros, Fernanda da Silva Monteiro e Helcias Roberto Paulino Pereira.

Coopvila: www.coopvila.com
Ceasb: www.ceasb.org.br
Teatro Munganga: www.munganga.nl

(82) 3355-5196 | ceasb.al@ceasb.org.br | Avenida Gen. Luiz de França Albuquerque Rod. AL 101 Norte, 9.005, CEP 57039-230, Riacho Doce, Maceió, Alagoas.
CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SÃO BARTOLOMEU © 2015 CEASB.org.br - Todos os direitos reservados
CNPJ: 01.123.585/0001-08